sábado, 31 de maio de 2008

That's what friends are for...


Gente, essa mensagem é para minha companheira de blog, minha querida amiga. Mas resolvi escrever aqui, porque está relacionada com o "processo" pelo qual estamos passando e acho que vocês podem se identificar com a situação. Explico: minha amiga está "uma péssima hoje". Normaaaaaaaalll! Todo mundo tem seus dias ruins (acho que pra completar ela tá na TPM...). Mas ela me disse uma frase que me chamou a atenção. Me disse que está se sentindo sozinha e que "cada um tem sua vida, né..." Essa foi a frase com a qual me identifiquei. Às vezes, (aliás mais vezes que você possa imaginar) me sinto assim também. É tipo: a vida de todo mundo tá andando pra frente, cada um tá fazendo "suas coisas" nessa linda manhã de sábado e eu tô aqui, só, fazendo nada...minha vida não caminha, aliás, cadê minha vida? Roubaram minha vida... E no fundo é isso mesmo. Estamos numa fase de "transição", nossa vida está dando uma guinada de 360 graus, mas é isso, ainda está dando a guinada, não terminou ainda a volta, então tem horas que parece que ela tá parada mesmo, mas não tá não amiga. Acredite! Esse "tempo" é mesmo necessário. Essa solidão também talvez seja necessária...
Sabe amiga, um processo de separação conjugal (ó, que chique) não é algo pelo qual se "passa" assim incólume (caramba, tô de cara comigo...). Brincadeiras à parte, a medida que a gente via virando "gente grande", vamos adquirindo "marcas" que nos acompanharão pra sempre. Essa é uma delas. Faço uma comparação com uma amiga que perdeu o pai há algum tempo, muito jovem ainda, fora da ondem "natural" das coisas. O que a gente espera ? Que nossos pais só nos deixem bem bem velhinhos. Então, foi difícil pra ela aceitar a perda precoce do pai. Hoje ela está muito bem, mas a marca ficou. Conosco é semelhante. Quando casamos, o que esperamos? Que vá durar pra sempre! Então, pra digerir essa perda demora. Tem horas que acho que estamos querendo que passe muito rapidinho. Não é rápido não! Vamos ter paciência!
E por fim, não fique pensando no que foi nem muito menos no que poderia ter sido, nessas horas (eu seeeeei que é difícil, mas tente desviar o pensamento) pense no que será. O que eu quero pra mim? Então é assim que vai ser.
Fique com Deus e em paz. Qualquer coisa, grita!

Beijo grande.

Eri.

4 comentários:

Karina disse...

Tem dias em que eu até pareço feliz
Tem dias em que até parece que vou conseguir deixa-lo ir
Tem dias em que imploro pra que ele vá de meu coração
Tem dias que em que até percebo que a mais gente a minha volta
Tem dias que converso comigo mesma, pois o telefone nao toca, ninguem bate a porta e sou eu e eu mesma, mais uma vez
Tem dias em que as pessoas me fazer sorrir, me fazer por instantes maravilhosos, sorrir e sorrir
Tem dias em que a vida dos outros anda realmente demais enquanto a minha nem se mexe
Tem dias em que quero fugir de mim mesma
Tem dias em que digo amanhã será diferente

Tem dias, em que eu queria muito, Eri, um alguém como vc por perto, uma amiga que consegue ser doce ao dizer que o que passou, passou

um beijo no coração das duas

Karina
www.kaefeitobrboleta.blogger.com.br

Aline disse...

Casar é fácil, agora separar....Me separei, sofri,chorei, dei a volta por cima encontrei um amor, tenho um filho lindo sou feliz.O importante é sofrer só o necessário, digerir e seguir a vida, que tudo entra nos eixos

Fernanda disse...

O meu sistema de comentários do blogger tava com problema, só vi seu comentário hoje.

Você vai sentir as doces sensações não só da maternidade, mas da vida também!!! Você está encarando o problema, está se esforçando para superar e o que vou dizer pode parecer clichê, mas dê tempo ao tempo e as coisas se encaixarão. Encare a nova fase como um novo projeto, crie metas, objetivos.... Faça coisas novas pra “matar” o tempo!!!!
Estou torcendo que as coisas se acertem logo!!!! Li o blog e deu pra perceber claramente que você merece muito ser feliz e será.

Anônimo disse...

Bom, gente,
Ainda não consegui navegar bem por este blogg, mas gostaria de deixar um comentário. Sou um Homem, e acho que sou um estranho no ninho, pois só vi comentários femininos, talvez eu esteja errado. Sabe, eu acredito que todo sofrimento é passageirio, mas coloquem-se no meu lugar. Ainda não me separei mas, como as coisas andam, parece ser inevitável. Tenho uma filha de 4 anos que é super agarrada em mim, gosta de dormir abraçada em mim, e quando estou de volta em casa, acho que isto é a maior felicidade que ela teve durante todo o dia. Sofrimento sempre é sofrimento, mas acho que para a mulher a dor é menor. Em uma separação, o homem fica sozinho, semo chão, como algumas já disseram, mas as mulheres não ficam, sempre teêm um consolo que são os filhos que os acompanharão por onde forem. Estou lutando para que a separação não aconteça. O que vocês fariam diferente, se ainda não tivessem separadas, e pudessem tentar evitar???