sexta-feira, 16 de maio de 2008

Desde que me separei, o que mais tenho feito é auto-análise. Acho que isso acontece com todo mundo. Primeiro porque, de repente, depois de algum ou muito tempo "a dois", você se vê sozinha. Você com você mesmo. Como era ser eu mesmo? Porque, querendo ou não, pra viver a dois a gente faz consessões, deixa de fazer algo aqui, de comer algo alí, de pensar algo acolá (isso, na verdade, da outro post!!!) Segundo porque fica tentando "entender" tudo o que aconteceu e analisando o que fez ou deixou de fazer, o que disse ou deixou de dizer. Enfim, é uma época de reflexão e autoconhecimento. Isso é muito bom!! Tem sido muito bom.
Então, passeando pelos meus blogs favoritos, havia este "poema" e logo enxeirguei um exercício de auto-análise!!! Que tal?, tente fazer. Coloquei minhas respostas aí...Mas é claro que, como somos "uma metamorfose ambulante" e "tudo muda, o tempo todo, no mundo", graças a Deus, talvez amanhã, as respostas sejam outras...Tomara!!!

Se eu fosse um ano, eu seria 2007. O ano em que me separei (tenho a sensação que ainda estou congelada lá!)
Se eu fosse um mês, eu seria setembro, e a razão é a mesma.
Se eu fosse um dia da semana, seria segunda-feira pela manhã.
Se eu fosse uma hora do dia, seria 8 hs e estaria saindo pra trabalhar.
Se eu fosse um planeta, eu seria a Terra. Tenho meus pés muito no chão...
Se eu fosse uma direção, seria a que me levasse pra falar com Jesus.
Se eu fosse um líquido, seria café.
Se eu fosse um pecado, seria a Ira.
Se eu fosse uma árvore, eu seria uma bem robusta, com bastante sombra pra um monte de gente deitar em baixo dela.
Se eu fosse uma flor, seria um botão ainda, bem fechadinho...
Se eu fosse uma estação do ano, seria o outono, todas as folhas caindo, tudo se renovando...
Se eu fosse um elemento, seria ar, bem leve, levinho...
Se eu fosse uma cor... seria o branco, pra absorver todas as outras...
Se eu fosse um bicho, seria uma borboleta, mas ainda na forma de lagarta, crisalidando...
Se eu fosse uma forma, seria uma pirâmide.
Se eu fosse um som, seria o som do vento soprando.
Se eu fosse uma música... seria "...ainda se vier, noites traiçoeiras, se a cruz pesada for, Cristo estará contigo, o mundo pode até, fazer você chorar, mas Deus te quer sorrindo, uôôô..."
Se eu fosse um sentimento... Ah! São tantos, tantos...mas acho que seria esperança...
Se eu fosse um livro, seria a história da minha vida, com várias reedições.
Se eu fosse um personagem?? Eu já sou um personagem da minha própria história.
Se eu fosse um filme, eu seria Harry Potter, pra viver no mundo da magia
Se eu fosse uma comida, eu seria bem light.
Se eu fosse um lugar, seria o céu.
Se eu fosse um gosto, seria gosto de chocolate!
Se eu fosse um cheiro, seria o meu cheiro.
Se eu fosse uma palavra, seria “saudade”.
Se eu fosse um verbo, seria o verbo curar, curar todas as dores.
Se eu fosse uma parte do corpo, seria uma mão, pra segurar uma outra mão (como eu queria uma mão pra segurar...).
Se eu fosse uma expressão facial, eu seria o choro.
Se eu fosse um número, eu seria 1, ou talvez meio...
Se eu fosse uma frase: “... o que importa não é o que se tem na vida, mas quem se tem na vida”

Eri.

2 comentários:

borboleta disse...

Me identifico tanto com vc ...

è engraçado, geralmente queremos nos identificar com alguém, mas confesso, que nesse caso, queria que fossemos tão diferentes!

pois aí, eu teria a certeza que não sentiria "dores" como vc sente ...

sei que consegue ver o que realmente quero dizer ...
não é vc
é a nossa atual situação

um beijo
e que consigamos sair de 2007
pois tb me encontro lá

Karina
www.kaefeitoborboleta.blogger.com.br

Marsyah disse...

Olá!
Que bom que você também aceitou o desafio...
Gostei !!
Ficou bem legal o seu post.
Força nesta nova fase, vai passar logo.

Bjux!