quinta-feira, 1 de maio de 2008

Contatos imediatos de terceiro grau...


Depois de um certo tempo que a gente se separa e, principalmente, depois de uma data sem encontrar, falar ou ter notícias da outra parte, fica um sensasão estranhíssima: parece que a pessoa morreu. É, parece que ela desmaterializou, sumiu do mapa (literalmente). E isso faz com que nossa ferida fique quietinha, doendo aquela dorzinha suportável... (sim, porque definitivamente temos uma ferida aberta no meio do peito, independente de como se deu a separação, qualquer uma causa isso!) Aí, de repete, não mais que de repente, você dá de cara com a criatura, ou então, como aconteceu comigo, abre sua caixa de email e está lá, uma mensagem da pessoas. Você fica um tempão parado, olhando aquilo e imaginando o que pode estar escrito alí. Por uma fração de segundo você imagina que estará lá um arrependimento sincero e "pluft", tudo voltaria a ser como era antes e você acordaria do pesadelo. Você então toma coragem e abre o danado do email. A criatura diz que ficou sabendo da hospitalização do seu pai e deseja que ele melhore rápido. Diz que sabe como essas coisas nos abalam. Pro raio que o parta!!! Sabe? Sabe mesmo como essas coisas abalam? Então porque não está do meu lado num momento tão tão difícil ? Conversa pra boi dormir. Tá querendo dar uma de bom moço, só pode. Ou então tá com muita culpa...

Sei que estou muito "fera ferida" nesse post, mas é que cansei um pouco do papel de compreensiva. Desde que me separei, tenho tentado aceitar o fato do meu ex não acreditar mais no relacionamento e querer se separar. Sempre que a mágoa tenta me dominar, digo a mim mesma: ninguém é obrigado a ficar com ninguém. Mas de ontem pra cá, depois que recebi esse email, fiquei meio revoltada mesmo. Pô, a pessoa vira pra mim, duas semanas depois do meu pai se internado por conta do agravamento de uma doença com a qual convivmeos há tempos, e diz que não quer mais, que se separar. (Foram duas porradas na minha cara em menos de um mês). Sendo que quando meu pai tava doente, me disse que estava comigo pro que desse e viesse. Tá, tudo bem, de repente tudo clereou pra ele, percebeu que não acreditava mais no relacionemento***. Mas agora, depois que minha ferida tá quietinha, até um pouco esquecida frente aos aconteciementos, ele vem mandar mensagenzinha querendo saber como está tudo...Só pra me lembrar a falta que faz um "porto seguro"?
Tem uma música do Tim Maia que fala assim: Paixão antiga sempre mexe com a gente/é tão difícl esquece/basta um encontro, por acaso encontro/começa tudo outra vez...

Tô sangrando novamente...

***Quero nesse momento abrir uma discussão. Minha companheira de blog contou em sua postagem anterior, sobra a audiencia de separação, que foi ela que teve a coragem de tomar a iniciativa, já que o relacionamento estava indigno para ambos, segundo ela própria. E fico me perguntando: E mesmo crajoso aquele que toma a iniciativa da separação? Não seria um ato de coragem maior tentar continuar junto, buscar uma forma de honrar o compromisso assumido com o outro de estar ao seu lado na saúde, na doença, na alegria e na tristeza? Sei que cada caso é um caso e, especificamente no caso de minha companheira de blog, sei que ela tentou TUDO. Mas será que não estão banalizando o divócio, será que o amor não virou consórcio?




2 comentários:

Ká Borboleta disse...

Talvez eu não esteja pronta para participar da discussão ...

Pois a minha situação é um misto ...


Mas entendo perfeitamente sua "revolta".
Existe um ponto que "ele" perto nos faz pior do que longe
Pq esse perto não é o perto que deveria ou queriamos que fosse

um beijo em seu coração


www.kaefeitoborboleta.blogger.com.br

ligia disse...

oi, foi muito bom encontrar seu site... estou separada a quase um ano, fui eu que tomei a decisao, ... mas isso nao torna as coisa mais faceis.
teu blog me fez realizar muitas coisas hoje, coisas que eu ate entao nao havia racionalizado, estava tudo la mas como sentimento, escondido dentro de mim. E verdade que quando se separa algo morre, é a assim que me sinto hoje, de luto e sofrendo por um amor que foi... sinto saudade do amor que sentia e como ele fazia me sentir viva. que Deus ajude todos nos.