domingo, 17 de agosto de 2008

"Todas essas coisas de que falo agora - as particularidades dos dragões, a banalidade das pessoas como eu -, só descobri depois. Aos poucos, na ausência dele, enquanto tentava compreendê-lo. Cada vez menos para que minha compreensão fosse sedutora a ponto de convencê-lo a voltar, e cada vez mais para que essa compreensão ajudasse a mim mesmo a. Não sei dizer. Quando penso desse jeito, enumero proposições como: a ser uma pessoa menos banal, a ser mais forte, mais seguro, mais sereno, mais feliz, a navegar com um mínimo de dor. Essas coisas todas que decidimos fazer ou nos tornar quando algo que supúnhamos grande acaba, e não há nada a ser feito a não ser continuar vivendo."

Eri.

Um comentário:

• Älone • disse...

Lindas suas palavras, tem muito a ver com o que passei e está postado, só não lembro aonde. Não sei o pé que estão as coisas, mas vou tomar a liberdade de dar um conselho: Não ligue para o que as pessoas falam, siga seu coração, lute por ele, liga, manda carta, email, mas no final de tudo amiga se não der certo, recupe seu folego e bola pra frente, porque mais pra frente vc olhará para trás e não se arrependerá de ter lutado ! Pelo menos comigo funciona ... rs